Os principais tipos de cirurgia feminina

 Publicado por: Ricardo Kruse

Cada vulva possui uma “identidade” própria. A coloração, formato e tamanho variam muito de uma mulher para a outra - e está tudo bem ser assim. O problema, no entanto, é quando essas características passam a causar algum tipo de constrangimento ou desconforto físico, emocional ou psicológico. É por isso que a cirurgia íntima feminina se tornou um sucesso no Brasil.

A cirurgia plástica na região íntima feminina é indicada por:

Razões estéticas ou pessoais

  • Redução do capuz (ou prepúcio) do clitóris – para que o clitóris fique adequadamente exposto e a mulher tenha mais prazer nas relações íntimas;
  • Clareamento íntimo – é utilizada quando a mulher acha que sua região genital é muito escura;
  • Lipoaspiração do monte de Vênus – quando a mulher acha que sua região íntima é muito volumosa;
  • Redução dos pequenos lábios vaginais – para que fiquem menores que os grandes lábios;
  • Reconstrução do hímen (para que a mulher 'volte' a ser virgem novamente).

Razões médicas

  • Redução dos pequenos lábios vaginais (labioplastia menor ou ninfoplastia): quando há desconforto durante a atividade física, uso de certos tipos de roupas, dor ou aprisionamento dos lábios durante o ato sexual com penetração, ou decorrente da gestação ou parto vaginal;
  • Redução dos grandes lábios (labioplastia maior) ou preenchimento: Redução do excesso de pele ou preenchimento após observar grande frouxidão vaginal ou perda de volume, seja decorrente da gestação ou perda de peso, que cause desconforto no ato ou interfira na satisfação sexual da mulher;
  • Correção de qualquer alteração dos genitais que interfiram na penetração ou satisfação sexual da mulher.

Em geral, as cirurgias íntimas femininas são feitas em aproximadamente 2 horas, com anestesia local ou raquidiana e não demandam muito tempo de recuperação. Após fazer este tipo de cirurgia, é preciso ter alguns cuidados como:

  • Não ter relação sexual durante cerca de 30 a 45 dias;
  • Repouso relativo por cerca de 2 a 3 dias;
  • Não realizar exercícios físicos nas primeiras três semanas;
  • Fazer a higiene íntima normalmente com água morna e sabonete neutro;
  • Usar calcinha de algodão;
  • Aplicar compressas frias na região íntima para diminuir o inchaço;
  • Não esfregar a região íntima.

Entre em contato com o Dr. Ricardo Kruse e conheça mais sobre cada procedimento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

− 2 = 5

   
     
Ricardo Kruse | © Todos os direitos resevados
Desenvolvido por &