Abdominoplastia


Abdominoplastia é a cirurgia para reduzir o volume do abdômen, retirando o excesso de pele e gordura da região, incluindo cicatrizes e estrias. Como resultado, uma barriga mais plana e tonificada, uma vez que, na cirurgia, os músculos são aproximados de forma a definir melhor a região abdominal.

 

Indicações

A abdominoplastia é indicada para pacientes que passaram por um processo de emagrecimento significativo. Assim como gestação ou envelhecimento e, por isso, se sentem incomodados com a região do abdômen. Não só pelo excesso de pele, mas também de gordura. Além disso, pode ser associada a uma lipoaspiração para dar um grau de refinamento maior ao resultado. É importante salientar que essa cirurgia não é um procedimento para se “perder peso”. Dessa maneira, não substitui os efeitos de uma boa alimentação e a prática de atividades físicas.

 

Veja também:

 

Cuidados pré-operatórios

É fundamental a paciente estar em seu peso adequado no momento da cirurgia para obter um maior benefício com o procedimento. De tal forma que o resultado tenha duração a longo prazo.

Na avaliação pré-operatória, o paciente é examinado e, em seguida, são solicitados exames. Como, por exemplo de sangue, eletrocardiograma e ultrassom abdominal. Além disso, nesta consulta também é discutido o tipo de cicatriz resultante e, portanto, se há necessidade de associação com lipoaspiração para dar melhor contorno corporal.

 

Como é feita a abdominoplastia?

A cirurgia dura, em média, de 2 a 4 horas com anestesia peridural e/ou geral se necessário, principalmente se for associada a outras cirurgias. É realizado um corte transversal arqueado acima dos pelos pubianos para a retirada de gordura e excesso de pele. Outro pequeno corte é feito na parte interna do umbigo. No transcorrer da cirurgia, costuram-se os músculos abdominais aproximando-os para estreitas a silhueta e “chapar” o abdômen.

Ao final, a pele é esticada aproximando as duas extremidades e unindo-as com pontos de sutura invisíveis (intradérmicos). Não há necessidade do uso de drenos externos uma vez que se utilizam pontos internos de adesão.

 

Cuidados pós-operatórios

É fundamental o uso da cinta compressora por no mínimo 30 dias, pois a compressão ajudará a manter os tecidos nos locais e facilitará a cicatrização. Nesse período, também é recomendado evitar esforços e pegar pesos. As sessões de drenagem linfática devem ser iniciadas já no quarto dia de recuperação.

Para mais informações preencha o formulário abaixo e entraremos em contato:

Ricardo Kruse | © Todos os direitos resevados
Desenvolvido por &